Ao contrário do que muita gente pensa o protagonismo não está nos políticos, autoridades, celebridades etc. Ele pertence na grande maioria das vezes a pessoas comuns, que andam anônimas pelas ruas, sem cargos, salários e reconhecimento oficial...

Um protagonista raramente aparece no noticiário, não frequenta as colunas sociais, não busca reconhecimento, não se insinua...

Também não espera pelo grito de socorro... Ele atende ao chamado de sua própria consciência.

Assistimos a revolução tecnológica, o impressionante progresso da ciência, com impacto diário no cotidiano das pessoas, mas quase nunca ficamos sabendo quem são as pessoas responsáveis por estas impressionantes mudanças.

Mas o político, ainda que ele não faça nada, ele está sempre à frente da cena. A História, essa grande farsa, registra os fatos pela perspectiva de quem manda, mas os protagonistas não estão preocupados em mandar e aparecer, eles querem fazer as coisas acontecerem.

E o protagonismo não é feito somente de grandes ações, feitos extraordinários, atos de heroísmo, pelo contrário, enquanto você está dormindo ou reclamando contra alguma coisa que não funciona o protagonista está agindo, dando sua contribuição ainda que pequena, espalhando sua pegada pelo planeta.

Enquanto os medíocres estão apenas preocupados em subir mais um degrau na escala social, exibir o seu status adquirido muitas vezes, ilegitimamente, reivindicam posição, garantias, prestígio e dinheiro, os protagonistas estão com a mão na massa, não exigem privilégios, não estão preocupados com fama, dinheiro ou poder. Também não dizem “eu quero me eleger para trabalhar para o povo”. Ele não deixa para amanhã o que pode fazer hoje, porque quem sabe faz agora.

É para contar a história de muitas dessas pessoas que constroem a nossa cidade e são sua alma viva é que nasceu esta série que exibirá um novo episódio a cada 15 dias. Não percam!